eventos e notícias

Você Conhece os Museus Salesianos?
Foto: Divulgação

A partir desta segunda-feira (17) até o domingo (23), celebra-se a 19ª Semana Nacional de Museus. O evento do Instituto Nacional dos Museus (IBRAM) visa fomentar as discussões do campo museal e inspirar os eventos propostos pelas instituições. Este ano, o tema escolhido pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM) foi “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, propondo uma reflexão sobre o futuro dos museus, especialmente durante e após o período de pandemia da COVID-19.

 

Além de escolas, obras sociais, institutos de ensino superior e paróquias, a Rede Salesiana Brasil (RSB) também conta com instituições comunicacionais, as quais compreendem, além de gráficas, teatros, rádios e editora, 4 importantes museus. Conheça um pouco de cada um deles abaixo:

 

 

 

 Museu da Obra Salesiana no Brasil (MOSB) 

 

   

 

O Museu Obra Salesiana no Brasil (MOSB), criado oficialmente em 2008, é uma instituição privada localizado nas dependências do Colégio Liceu Coração de Jesus, primeira casa salesiana em São Paulo, fundada em 1885. O MOSB tem como missão preservar, estudar e difundir o patrimônio da Congregação Salesiana no Brasil. O museu possui uma coleção híbrida que contempla acervos musical, fotográfico, arquivísticos, documentais, indumentárias e museológicos.


O Museu preserva materiais do final do século XIX. Nele é possível encontrar uma vasta coleção de taxidermia, com diversas espécies da fauna brasileira que eram utilizadas pelos padres e professores salesianos para aulas de ciências naturais durante o final do século XIX e início do século XX, além de uma rica coleção de mineralogia e objetos sacros.

 

O acervo musical do MOSB preserva fontes que apontam para outras concepções relacionadas ao ensino musical, o que se torna um importante campo de pesquisa para a elucidação de projetos distintos do orfeonismo. Já o acervo de Indumentária é composto por paramentos utilizados por sacerdotes salesianos. Fazem parte da coleção casulas, dalmáticas e capas pluviais, sapatos e luvas, barretes e mitras, cíngulos, alvas, entre outras vestimentas.

 

Antes da pandemia, as visitas ocorriam por meio de agendamento prévio através do site do museu, porém, hoje, por causa das orientações de distanciamento social impostas pelos órgãos de saúde, é possível fazer um Tour Virtual pelo museu através do Google Arts&Culture.

 

 

 Memorial do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora 

 

  

 

 

No dia 23 de março 2019, aconteceu a inauguração solene do Memorial Filhas de Maria Auxiliadora no Brasil, que está localizado na Casa do Puríssimo Coração de Maria (Antigo Orfanato), em Guaratinguetá (SP). O Memorial conta com um acervo riquíssimo em detalhes e promove uma experiência sensorial que registra a história de maneira afetiva, cultural e religiosa, buscando ser um centro de formação e difusão do carisma de Dom Bosco e de Madre Mazzarello para toda a Família Salesiana do Brasil e do exterior, bem como para a população em geral.

 

O Memorial do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora foi aberto ao público em junho do mesmo ano, sempre de quarta-feira a domingo. Para mais informações: (12) 3125-7810.

 

 

 Museu do Índio de Manaus 

 

  

 

O Museu do Índio de Manaus é mantido pela Congregação das Irmãs Salesianas de Manaus, sendo fundado em 1952, ação atribuída à irmã missionária Maddalena Mazzone. Hoje, é o maior e mais amplo museu da história indígena no Brasil, contendo em seu acervo cerca de três mil peças produzidas por tribos da Amazônia e, entre os objetos, encontram-se utensílios domésticos, armas, adornos e instrumentos musicais.

 

O acervo está distribuído em seis salas que apresentam materiais que contam sobre o modo de vida indígena por meio de seus adornos, utensílios e instrumentos. Nas salas se pode obter, por meio dos materiais expostos, uma visão da vida de homens e mulheres no ambiente das aldeias, sendo o acervo construído durante as missões Salesianas em meio as etnias dos índios Tukano, Yanomani e outros.

 

O Museu possui uma pequena biblioteca, voltada para a temática dos povos indígenas e algumas das peças expostas no museu são peças centenárias e foram doados por arqueólogos. Outros objetos expostos são originalmente feitos por indígenas das tribos do Alto Rio Negro. O acervo está em exposição para fins educativos, de pesquisa e turístico.

 

O Museu do Índio de Manaus está localizado na Rua Duque de Caxias, 356 – Manaus. Conheça mais na página oficial do Museu no Facebook.

 

 Museu das Culturas Dom Bosco – MCDB 

 

  

 

O Museu das Culturas Dom Bosco, localizado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, foi idealizado pela Missão Salesiana do Mato Grosso e inaugurado oficialmente em 27 de outubro de 1951, visando principalmente a educação, o desenvolvimento e o lazer de adultos, jovens e crianças.


Ao longo de sua existência, formou um rico e variado acervo graças ao trabalho e dedicação de salesianos, como: Félix Zavataro, Cesar Albisetti, Ângelo Jaime Venturelli, João Falco e, mais recentemente, de leigos, como Emília Kashimoto, na área de Arqueologia; Aivone Carvalho, na área de Etnologia e Liane Calarge, na área de Mineralogia e Paleontologia.


Em seus sessenta anos de vida, o Museu passou por várias fases e ocupou diferentes espaços. O primeiro deles foi nas instalações do Colégio Dom Bosco, sob a direção do filólogo Angelo Jaime Venturelli, época em que suas coleções etnográficas tiveram um considerável enriquecimento. Para se ter uma ideia, a coleção Bororo sob a guarda do Museu é hoje a maior e mais completa do mundo.


Em 1978 seu rico acervo foi transferido para a Rua Barão do Rio Branco, onde permaneceu por mais de 20 anos sob a direção do Pe. João Falco (SDB). Durante sua gestão, Pe. Falco promoveu algumas intervenções no espaço físico, visando criar condições para melhor expor o acervo já existente e todo o material que conseguia adquirir, utilizando o bom relacionamento que tinha com os meios científicos e acadêmicos. Seu maior interesse sempre foi pelas Ciências Naturais, fato que o levou a formar, organizar e ampliar os acervos de Mineralogia, Paleontologia e Zoologia.


Pela extensa coleção de objetos de cultura material indígena, o Museu Dom Bosco também ficou conhecido pela população sulmatogrossense como Museu do Índio.


Com a morte de Pe. Falco, a partir de 1996 o Museu passou a ser gerido pela Universidade Católica Dom Bosco. Essa gestão impôs a necessidade de redefinir objetivos e adequar o espaço físico à democratização da cultura, perspectiva fundamental de um museu dinâmico capaz de promover o desenvolvimento social, conservar e proteger seu patrimônio cultural. Para isto a Universidade trouxe profissionais de grandes centros brasileiros e italianos para conduzir o Projeto de Reestruturação do então Museu das Culturas Dom Bosco que hoje se apresenta.

 

Conheça mais no site do museu, ou na página oficial do Facebook.

 

Fonte: RSB-Comunicação, com informações do eventos.museus.gov.br