eventos e notícias

FM Dom Bosco vence 1ª Edição do Prêmio MPCE de Jornalismo
Jornalistas Jocasta Pimentel e Roberta Farias

As melhores peças jornalísticas que abordam a atuação do Ministério Público do Ceará (MPCE) foram premiadas na noite desta quinta-feira (12), em evento que contou com a palestra do jornalista investigativo Caco Barcellos. A 1ª Edição do Prêmio MPCE de Jornalismo contou com a participação de 60 trabalhos nas categorias: impresso, telejornalismo, radiojornalismo, webjornalismo, fotojornalismo e acadêmico. 

 

FM Dom Bosco conquistou o primeiro lugar na categoria radiojornalismo, com a reportagem "Filhos do coração", que aborda o projeto do MPCE Anjos da Adoção. O projeto existe desde 2016 e fornece uma alternativa legal às mulheres (grávidas ou não) que não desejam prosseguir com a maternidade. Por meio desta iniciativa, elas têm a opção de entregar a criança ao projeto, que assim, promove a adoção.

 

A série de reportagens foi produzida pelas jornalistas Roberta Farias e Jocasta Pimentel, e exibida no Informativo Dom Bosco nos dias 07 e 08 de novembro de 2019. "Quando eu soube desse projeto, foi uma alegria muito grande para mim porque é uma coisa que o Ministério Público oferece e acaba reduzindo mesmo a mortalidade infantil, o aborto, que é um tema bem complexo hoje em dia. Então fiquei muito feliz em fazer parte e em vários depoimentos a gente ficou bem emocionado", afirma Roberta. 

 

Segundo a jornalista, Jocasta Pimentel além da premiação a equipe comemora também o resultado social que a matéria conquistou. "Nós fizemos um material de qualidade e garantimos informações que muitas vezes não ganham destaque na grande mídia, mas são de fundamental importância para a sociedade. Estou feliz com a premiação e com o alcance do bom jornalismo que fazemos diariamente, na FM Dom Bosco", disse Jocasta.

 

De acordo com o promotor do Ministério Público, Dr. Dairton Oliveira, a repercussão da matéria e da entrevista concedida posteriormente no programa Ação Dom Bosco foi positiva. "Não completamos duas semanas de conversa e acabo de receber a quinta gestante em duas semanas. A média de mulheres que nos procuravam era de uma a cada duas semanas. Estamos acolhendo essas mulheres. Isto não significa dizer que elas vão entregar os filhos pra adoção. Isto significa dizer que elas já decidiram pela preservação da vida da criança que carregam no ventre. Decidiram que não vão abortar, nem abandonar, nem entregar a criança para adoção ilegal. Decidiram pela vida e pela legalidade", destacou o promotor.

 

Para conhecer a série de reportagens, clique aqui

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – Rádio FM Dom Bosco